segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Conto #4 - A Parte Fria da Amizade

Oi pessoal! Tudo bem? Minha semana foi... Ruim, para dizer o mínimo, mas o que se pode dizer sobre isso? Semanas boas são seguidas de semanas ruins; sempre foi assim e eu tenho em mente que não serei eu quem mudará isso.
Mas vamos lá! Hoje venho aqui continuar minha série "Por trás de A Verdadeira Morte", dessa vez com o conto A Parte Fria da Amizade tomando a frente. Vamos conferir?



A Parte Fria da Amizade é o que chamaria de "dois em um": uma história com duas mensagens diferentes. A história toda se passa no telhado de um prédio, e nesse telhado está esse jovem rapaz que perdeu a mãe há pouco tempo e que está voltando agora do funeral dela. Ele começa a refletir sobre toda a relação que eles tiveram e os belos laços que eles tinham, ao mesmo tempo em que ele é consolado por seu amigo, Diego, que lhe dá suporte e consolo numa hora difícil.
Esse é um dos contos que mais mexe comigo. Não porque foi escrito num momento especial ou porque eu tenha me dedicado horrores a ele, mas por causa de seus temas. Fala sobre a perda de uma mãe, uma coisa que eu temo em dobro e um pouco mais a cada dia, e sobre a forte presença de uma amizade na vida de um adolescente, o que sempre foi uma coisa que eu tratei com grande importância.
Sinceramente foi escrito num momento de fragilidade meu, e baseado em algumas histórias que eu ouvi e também por algumas que eu presenciei. De fato eu sou uma completa terceira pessoa quando se trata de A Parte Fria da Amizade, mas quando eu leio esse conto eu sinto uma certa conexão com ele e eu penso que, mesmo que não tenha sido escrito numa hora muito propícia, pode fazer as pessoas pensarem ao ponto de fazê-las darem mais valor a família e a amizade.
Eu tenho muito orgulho do resultado desse conto, e se eu tivesse que lançar um quarto conto da antologia (o que a propósito foi considerado), seria esse sem sombra de dúvida.

Muito obrigado por terem lido pessoal! Espero que tenham gostado. E semana que vem estarei aqui de novo, dessa vez para falar sobre Milagres. Até!

Nenhum comentário:

Postar um comentário