quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz Ano Novo! 2016


  Oi pessoal! Tudo bem com vocês? Pois eu devo dizer que hoje acordei, surpreendentemente, cedo, e pronto para escrever uma carta aberta para todos que seguem o blog. E ao som do incrível "...Baby One More Time", aqui estou, digitando para um tema simples, porém especial: 2016.

  Antes, gostaria de justificar minha ausência neste último natal. Pessoal, acontece que o natal para mim nunca foi uma data tão festiva; para mim, sempre foi mais um momento de reflexão, porém ainda assim alegre, para lembrarmos de todas as coisas boas e ruins que ocorreram no ano que se passou. Já o ano novo é um momento de descontração, que para falar a verdade nem considero como feriado, e sim como uma pequena pausa para observar esse novo ano que se abre.

  2015 foi um ano incrivelmente feliz para mim, e o principal motivo todos já sabem: A Luz de Cada Mundo. É incrível pensar como este é o meu primeiro livro publicado, o chamado "ponto inicial" da minha carreira e como tudo daqui para frente pode ou não ser diferente - só depende de mim, eu sei...

  Mas de um jeito ou de outro, a alegria que eu sinto por isso não pode ser substituída por nenhum outro sentimento, e quando eu lembrar de A Luz de Cada Mundo, eu vou lembrar de me sentir alegre. E enquanto a sequência pode sair (ou não) no final de 2016, eu já vou adiantando que tenho dois projetos para o ano que vamos adentrar em menos de 24 horas: A Verdadeira Morte, minha primeira antologia dramática que deve sair ainda no primeiro semestre - se não sairá no segundo -, e um novo livro, do qual ainda não posso falar abertamente, mas do qual eu já posso adiantar que será um trabalho totalmente inédito.
  A Luz de Cada Mundo II, em contrapartida, é um livro no qual eu estou trabalhando muito, mas ainda há muito a ser feito antes do lançamento da segunda parte, justamente porque eu quero que essa nova parte supere o primeiro em todos os sentidos. Estou treinando mais minha escrita, sobre tudo em cenas de ação e de lutas, e estou construindo um enredo bem sólido e trabalhando arduamente em novos personagens e em uma evolução considerável de Ryze Hope.

  No entanto, A Luz de Cada Mundo não foi a única coisa que me deixou feliz este ano. Todas as conquistas em 2015 referentes a educação, que prometem se expandir em 2016, também me deixaram muito feliz (eu só queria que alguém me convidasse para esses manifestos rsrs); as grandes obras de arte que recebemos na literatura este ano, tal como o incrível conto que li do meu semi-chara Renan Bernando, A Sala do Tempo; as grandes obras que recebemos na música, como o sucesso não esperado Revival, da Selena Gomez, e a revelação BADLANDS, da Halsey; e o tempo passado com todos os meus amigos esse ano, Diego, Vitória, Henrique, Raphael, Bárbara, e companhia: muito obrigado pelo ano incrível. Se para bom entendedor meia palavra basta, para um bom amigo meio momento é suficiente para me deixar feliz por dias, e vocês conseguiram me dar um ano inteiro de felicidades. Obrigado.

  E para todos aqueles que ficam, obrigado pelo 2015 que me deram e que 2016 venha carregado de mais alegrias! Mesmo ocupado, sempre terei um tempinho para escrever aqui - nem que seja uma vez por mês.
  Um feliz ano novo para você, sua família e todos aqueles que visam por você!